Watching whales – a baleia do Twitter, importa?

Observando baleias – a baleia do Twitter, importa, incomoda?

Certamente que sim! Incomoda porque o Twitter não nasceu ontem e foi inspirado no TXTmob que é um serviço de troca de mensagens SMS, mais conhecidos como torpedos em celulares. Jack Dorsey (@jack) foi o criador do Twitter; seus sócios são Biz Stone (@biz) e Evan Williams (@ev). O serviço foi criado por Jack em 15 de Julho de 2006. Existe na Wikipedia, um esboço de como seria o Twitter (inicialmente twttr, inspirado no Flickr).

Há mais de quatro anos então que o Twitter foi criado. Muitas mudanças ocorreram desde a criação. Uma mudança muito importante foi mudar a pergunta “O que você está fazendo?” para “O que está acontecendo?”. Digo isso porque as pessoas escreviam “estou almoçando”, “vou para escola”, etc. mas uma série de eventos que ocorreram passaram a ser tuitados (tweeted) de uma forma mais próxima do local, por pessoas comuns, e a imprensa internacional acabou sendo a última a saber!

Esse novo foco de ser um site de notícias ainda não é de uso geral e nada impede que as pessoas usem o Twitter como um micro blog pessoal (afinal, foi assim e para isso que ele nasceu).

Quem esteve no Twitter na época das eleições no Irã e compartilharam com a suposta fraude ocorrida nunca vão esquecer essa experiência, muito triste quando associada à mártir Neda Soltani. Os tuiteiros que apoiavam a liberdade de expressão mudavam o perfil para uma cidade do Irã (na maioria dos casos – Teerã) para poderem estar sincronizados com as pessoas de lá. Também tuitavam endereços de servidores ainda não bloqueados pelo governo do Irã para que os iranianos pudessem continuar a mandar notícias pelo Twitter atingindo grande parte do mundo em tempo real.

Pudemos acompanhar o impacto do maremoto disparado pelo terremoto no Chile, via Twitter, desde o Chile, Havaí até o Japão.

Um Google News, Yahoo Manchete, em termos de notícia, não tem como competir com o Twitter porque a noticia vem de quem está ao lado do fato, naquele momento e raramente é um jornalista. São pessoas que podem fotografar ou filmar o que está acontecendo, enviar imediatamente para o YouTube, Google, Vimeo ou outos serviços de video (Picasa, Flickr, por exemplo, no caso de fotos) e transformar aquilo em notícia no Twitter.

A baleia do Twitter. Twitter baleiando!Como nada é perfeito neste mundo vou citar alguns pontos onde o Twitter falha, além do desempenho:

A famosa baleia do Twitter, Fail Whale, sendo carregada numa rede por vários passarinhos não parece mais ser falta de capacidade dos servidores, de processamento, bases de dados e tudo mais que possa afetar o desempenho porque já existe um histórico suficiente de crescimento da quantidade de usuários tornando simples para o pessoal do Twitter projetar a quantidade de capacidade necessária de comunicação, servidores, etc para atender ao público atual e futuro.

Não é falta de dinheiro para investir na capacidade dos servidores; nem pensar! Grandes empresas como a Microsoft, Yahoo, Google entre outras (não necessariamente nessa ordem) hà muito tempo investem milhões de dólares no Twitter. As 3 empresas citadas tiveram que pagar para poderem indexar o conteúdo que as pessoas estavam, e estão, tuitando!

Não seria sensato que sejam mudanças no sistema real, idealmente elas ocorreriam num ambiente separado do ambiente operacional do Twitter. Acertos no ambiente operacional para corrigir falhas e/ou vulnerabilidades? Ok, uma vez ou outra tudo bem e é uma boa política porque não queremos nossos computadores infectados usando o Twitter (não estou falando sobre clicar naquele link que te mandaram, nem que seja o seu melhor amigo!).

Os cães ladram e a caravana passa.

O Twitter pretende ser uma rede de reputação desde que os profissionais do Linkedin passaram a tuitar diretamente de lá e o site abriu uma opção no perfil do usuário para indicar qual era a conta dele no Twitter. No Linkedin não existe espaço ou não faz sentido ter um perfil falso! Quem iria criar um perfil falso no Linkedin? Imagine um Fulano de Tal formado no MIT: Instituto de Tecnologia de Massachusetts, ser convidado via Linkedin para trabalhar numa empresa e ele não existe!

A falha está no fato de que nada foi para frente no sentido de, por exemplo, aumentar a quantidade de contas do Twitter como “contas verificadas”. Essa qualidade ainda é um “privilégio” das “celebridades” que, na grande maioria das vezes, são seguidos por centenas de milhares de contas no twitter que não são pessoas nem empresas; são perfis falsos – fakes.

Outra falha – “Em breve, Twitter em mais línguas” – Coming Soon: Twitter in More Languages. Isso foi divulgado dia 8 de Outubro de 2009. Em pouco tempo surgiu a opção em Francês. E as outras? Quando? O que é “em breve” para o Twitter?

Mais outro assunto que não deslancha: o modelo de negócios do Twitter: anunciantes, propagandistas, patrocinadores, promotores etc e tal… Primeiro disseram que não iriam seguir o modelo do Google AdWords e agora dizem que seguirão exatamente esse modelo. Mas nada foi definido ainda. Em breve… saberemos como ira funcionar…

E a tal de @Anywhere? Já naveguei pela Amazon, Ebay, entre outras e não vi nada e as funcionalidades da nova API não mudaram em quase nada, exceto correção de erros e tentativas de melhorar a facilidade de uso.

Se você usa o Twitter para bater papo, este artigo não faz sentido. Mesmo assim, serviços para bater papo já existem ha muitos anos e são vários: ICQ, MSN, Yahoo, IRC, Google Talk, Jabber, Skype, etc. sem falar daqueles que falam com qualquer um!

Programas e salas de bate papo também “baleiam” mas o escopo do Twitter vai além das comunicações interpessoais e eu nem recomendo que o Twitter seja usado para isso caso queira ter alguma privacidade.

Mas tudo bem sou tuiteiro não nego e dias melhores virão!

Siga-me que eu te sigo: @jblm

email
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

{ 0 comments… add one now }

Leave a Comment

Previous post:

Next post: